terça-feira, 8 de dezembro de 2009

HANTAVIROSE

O que é a hantavirose?
A Hantavirose é causada por um vírus, da família Bunyaviridiae. Sabe-se que nas Américas existem mais de 20 tipos de vírus diferentes e cada um é transmitido por uma espécie diferente de roedor. É uma doença grave e aguda, com alta taxa de letalidade, cujo nome tem origem no rio “Hantan” na Coréia, onde vários soldados americanos adoeceram durante a guerra dos anos 50. A doença manifesta-se sob a forma renal, com febre hemorrágica, e sob a forma pulmonar.
A Hantavirose é uma das zoonoses que vem preocupando as autoridades sanitárias de todo o mundo. Sua ocorrência se deve principalmente a distúrbios ecológicos, destacando-se desmatamentos, alterações em ecossistemas associados ao comportamento econômico, social e cultural do homem. A virose surge como um importante problema de saúde pública tanto em zonas rurais como em zonas urbanas. A hantavirose é uma doença provocada pelo hantavírus, encontrado em ratos silvestres.

Quais os sintomas da hantavirose?
Os sintomas aparecem de 4 a 42 dias após o contato com locais suspeitos de contaminação e são os seguintes: Febre alta (acima de 38º), dores no corpo, dor abdominal, dor de cabeça, fadiga, tosse seca, ânsia de vômito, t aquicardia e dificuldade para respirar. Essa fase dura em média de 3 a 5 dias, podendo evoluir para fase cardiopulmonar, que caracteriza-se por insuficiência respiratória aguda grave e choque circulatório, apresentando alta taxa de letalidade (45%).
Na presença de febre alta e mais de um desses sintomas, procure imediatamente a unidade de saúde mais próxima. A hantavirose pode matar.

A hantavirose tem cura?
Sim. Estatísticas apontam que um paciente sobrevive em metade dos casos diagnosticados, mas a recuperação depende da resistência do organismo. O tratamento é feito para controlar o avanço da doença até que o organismo do infectado desenvolva anticorpos necessários para sobrevivência. Portanto, apesar do risco de morte, a hantavirose tem cura. Mas é importante que você procure uma unidade de saúde logo que sentir os primeiros sintomas da doença.

Existe vacina contra a doença?
Não. A única forma de evitar a doença é a prevenção.

Como é feito o tratamento?
A infecção só é diagnosticada com precisão após exames de sangue. Portanto, o doente é internado e os médicos seguem um protocolo básico de investigação. São avaliados como casos suspeitos aqueles cujos pacientes tem quadro agudo de febre maior ou igual a 38 graus, dificuldades para respiração e dores no corpo. A exposição a ambientes rurais nos últimos 60 dias também é considerado pré-requisito da doença. O paciente, então, é submetido a exames de raio-x do tórax e sorológicos, como hemograma, uréia e creatinina. Dependendo dos resultados, é necessário internar para acompanhar a evolução do quadro. Não há medicamentos específicos para reverter à infecção. A ventilação, hidratação e taxas do sangue também são controladas para a sobrevida do paciente.

Quais os animais transmissores da doença?
Os roedores silvestres (ratos) são considerados reservatórios do vírus, uma vez que o agente não causa doença no animal, apenas uma infecção crônica, levando o animal à condição de portador assintomático. O vírus se encontra nas fezes, urina e saliva desses animais, e quando esses produtos secam, o vírus permanece viável no meio ambiente, desde que este seja favorável (pouca iluminação e abafado). Nenhum outro animal, mesmo ratos da cidade, como camundongos e ratazanas, transmite esse vírus.
As principais espécies silvestres portadoras do vírus no Brasil são: Akodon cursor, Oligorysomis negrites, Bolomys laziurus, entre outras, que transmitem a forma pulmonar da doença.

A doença pode ser transmitida por outra pessoa?
Não. Espirro, tosse, aperto de mão ou qualquer outro contato físico não representam risco de contágio.

De que forma a pessoa se contamina com o hantavírus?
A transmissão do vírus ao homem se dá de diferentes formas, tais como:
•Inalação de aerossóis (poeira) contaminados, contendo o vírus que foi eliminado na urina e secreção de ratos;
•Excrementos (urina ou saliva de roedores contaminados);
•Diretamente ao colocar a mão em local contaminado, não lavados ou cozidos e levar a mão à boca;
•Indiretamente através de água e alimentos contaminados;
•Mordedura de roedor contaminado, contato direto com mucosas (olhos, boca);
•Por escoriações na pele, principalmente de trabalhadores rurais sem vestimenta apropriada (sandálias, bermudas, etc.);
•Acidentalmente, em trabalhadores e visitantes de biotérios (onde sãocriados e mantidos animais, como ratos, cães e coelhos, com a finalidade de serem usados como cobaias em experimentação) e laboratórios.
Quais as pessoas que correm o maior risco de contrair a doença?
Os moradores e trabalhadores das áreas rurais (agricultores, caçadores, pescadores, entre outros), pessoas que fazem trilhas, acampam ou frequentam matas.

Como é feita a prevenção da doença e proliferação dos transmissores (roedores)?
Siga à risca as seguintes providências:
•Não deixe a casa fechada por muito tempo;
•Não plante nada a menos de 50 metros de distância da casa;
•Mantenha os arredores das casas limpos, capinados, rastelados e sem qualquer tipo de entulho, a uma distância de pelo menos 30 metros;
•Paióis e armazéns devem ficar a uma distância mínima de 30 metros das casas e suspensos a 40 centímetros do solo para evitar a subida dos ratos;
•Qualquer plantação deve ficar a 50 metros das casas;
•Não junte entulhos no interior e ao redor de casa;
•Não armazene grãos dentro de casa;
•Não deixe madeira, lixo ou folhas acumuladas perto da casa;
•Não coma frutos caídos ou próximos do chão;
•Vede todas as aberturas maiores que meio centímetro nas portas, janelas e paredes;
•Não deixe restos de comida e ração dos animais domésticos ao alcance dos ratos;
•Evite que o lixo fique espalhado;
•Guarde grãos ou qualquer alimento de consumo humano a uma altura mínima de 40 centímetros do chão;
•Nunca toque no rato;
•Nunca acampe dentro da mata; prefira locais de mato baixo, sob o sol, longe de montes de folhas secas ou madeira e com uma distância mínima de 30 metros da mata;
•Não durma ou descanse diretamente no mato;
•Antes de fazer limpeza de casas e locais fechados por muito tempo, abra as portas e janelas por pelo menos 30 minutos;
•Realizar limpeza de silos, depósitos e locais abandonados frequentemente;
•O armazenamento em locais comerciais deve seguir as mesmas orientações para o armazenamento em domicílio em silos de maior porte;
•Garantir a coleta e o destino adequados do lixo;
•Se onde você mora não tem coleta de lixo, separe os restos de alimentos e enterre-os a uma distância de, no mínimo, 30 metros das casas;
•Procure criar aves domésticas como patos, gansos e etc. Predadoras naturais do rato silvestre;
•Não se recomendam ações de extermínio/caça aos roedores, pois isso pode causar um desequilíbrio desta população, levando a movimentações e mudanças de hábitos que aumentam o risco de exposição humana aos excrementos.

Como limpar os ambientes fechados?
Para limpar os ambientes fechados confira os passos abaixo:
•Antes de entrar no ambiente, abra as portas e deixe arejar por meia hora;
•Abra todas as janelas e espere mais meia hora antes de entrar para fazer a limpeza. Prepare uma mistura de 1 copo de água sanitária com 9 copos de água;
•Com a ajuda de um rodo, molhe um pano nessa mistura e passe no chão, tomando o cuidado de não levantar poeira. Jamais use vassoura;
•Mantenha portas e janelas abertas até que tudo esteja limpo e seco;
•Limpe esses locais com pano úmido ou jogue bastante água antes de varrer;
•Sempre limpe os móveis e utensílios com pano úmido;
•O manipulador deverá usar vestimenta adequada (luvas e botas de borracha, macacão fechado, máscara protetora, óculos de proteção e chapéu).

Acampar no meio do mato é arriscado?
Sim, se não forem tomados os cuidados necessários: procure um local afastado da mata e exposto ao sol para armar a barraca. Ela deve ter fundo impermeável para que não haja contato direto do corpo com o solo. A água e os alimentos que serão consumidos devem ser guardados em recipientes muito bem fechados. Não use sandálias abertas.

É possível pegar o vírus andando na rua?
Não. O vírus fica inativo pouco depois de entrar em contato com o ar e o sol.

Fonte de consulta:
Hantavirose: atendimento, síndrome pulmonar e cardiovascular por hantavírus em indivíduo previamente saudável, com febre maior que 38ºc, dispnéia e mialgias.
http://www.santalucia.com.br/hantavirose/default.htm
Hantavirose deve ser olhada com cuidado, enquanto é apenas uma zoonose.
http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=hantavirose-deve-ser-olhada-com-cuidado--enquanto-e-apenas-uma-zoonose&id=406
http://www.distritofederal.df.gov.br/sites/000/55/Hantavirose.htm

3 comentários:

TiquinhO disse...

Gê muitO boa essa matéria, parabéns !!!

Anônimo disse...

esta maravilhoso...kda detalhe...

Anônimo disse...

nauh gostei... pq nauh tem cuidados de enfermagem... para o meu curso... fora isso ta mara...