sábado, 16 de janeiro de 2010

NR 4 QUADROS 3-4-5-6

1 – INFORMAÇÕES EM GERAL
Compete aos profissionais integrantes dos SESMT – Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho registrar mensalmente em quadros estatísticos da CIPA, os dados atualizados e acumulados de acidentes do trabalho, doenças ocupacionais e agentes de insalubridades, preenchendo, conforme a Norma NBR –14.280 de Fevereiro de 2001, da ABNT, no mínimo, os quesitos descritos nos modelos dos mapas constantes nos quadros III , IV , V e VI anexos da NR -4 - Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho, da Portaria nº 3.214, de 08 / 06 / 78.
O SESMT – Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho é integrado por Engenheiro de Segurança do Trabalho , Médico do Trabalho , Técnico de Segurança do Trabalho , Enfermeiro do Trabalho e Auxiliar de Enfermagem do Trabalho , conforme quadro I e II da NR-4.
Conforme o grau de risco da atividade principal e o número de empregados, das empresas privadas e públicas devem manter os serviços especializados (SESMT), com a finalidade de proteger a integridade do trabalhador no local de trabalho, conforme quadro II da NR-4 . Recomenda-se para que os Quadros III , IV, V e VI tenham o cabeçalho com o logotipo e identificação da empresa, com a razão social e endereço completo.

PROBLEMA TÍPICO
Roteiro demonstrativo dos cálculos e do preenchimento dos Quadros III , IV , V e VI da NR 4 com um problema típico.
Em uma empresa com 2 setores, escritório e obra, calcular e preencher os anexos. O estabelecimento tem jornada de 7.333 horas por dia de trabalho, que foi registrada durante o ano (utilizar acidentes somente ocorridos no estabelecimento e excluir os acidentes de trajeto).

ESCRITÓRIO
Total anual de 5 acidentes.
• 3 acidentes sem afastamento.
• 1 acidente com 13 dias perdidos.
• 1 acidente com 17 dias perdidos.
15 empregados ( média aritmética anual ).
30.248,62 HHT ( Horas-Homens Trabalhadas ).

OBRA
Total anual de 11 acidentes .
• 7 acidentes sem afastamento.
• 1 acidente com 10 dias perdidos.
• 1 acidente com 18 dias perdidos.
• 1 acidente com 44 dias perdidos.
• 1 acidente com 60 dias perdidos.
• 1 caso de doença ocupacional causada por poeiras ( Pneumoconiose ).
150 empregados ( média aritmética anual ).
302.486,25 HHT ( Horas-Homens Trabalhadas ).

TOTAL DO ESTABELECIMENTO
Utilizar o somatório dos setores Escritório e Oficina e efetuar os cálculos.
10 acidentes sem afastamento.
6 acidentes com 10 dias perdidos.
150 empregados ( média aritmética anual ).
302.486,25 HHT ( Horas-Homens Trabalho ).
Obs.: HHT = HER
HER ( Horas de Exposição ao Risco )

NORMA NBR 14.280 DE Fevereiro de 2001.
Nota : Computar inclusive horas extras trabalhadas.
Importante : Caso o estabelecimento não registre mensalmente os dados em quadros estatísticos da CIPA, obter o total anual das Horas-Homens Trabalhas, do seguinte modo:

HHT 165 x 7.333 ( * ) x 300 ( ** ) x 11/12 ( *** ) = 332.734,87

( * ) 7.333 = 44 horas semanais dividido por 6 dias da semana

( ** )300 dias úteis trabalhados.

Obs. : De ano para ano oscila de 300 a 309 dias úteis trabalhados. Caso deseja mais precisão , é necessário calcular os dias úteis do ano.

( *** ) 11 / 12 representa um mês de gozo de férias de cada empregado.


2 – PREENCHIMENTO DO QUADRO III

SETORES
Relacionar todos setores do registro mensal do quadro estatístico da CIPA e, entre parênteses ,colocar o número da média aritmética do ano dos empregados de cada Setor e o Total do Estabelecimento.

Exemplo: Escritório (15) ,Obra (150) e Total do Estabelecimento (165) .
OBS.: A soma dos setores deve ser igual ao total do estabelecimento.

Nota : Os números entre parênteses de cada setor e do total do estabelecimento serão utilizados nos cálculos da 6ª coluna deste anexo.

NÚMERO ABSOLUTO
Número dos acidentes com e sem afastamento (excluídos os de trajeto).

Exemplo: Escritório 5 ,Obra 11 e Total do Estabelecimento 16.

NÚMERO ABSOLUTO COM AFASTAMENTO < 15 DIAS
Número dos acidentes menor ou igual a 15 dias de afastamento.

Exemplo : Escritório 1,Obra 1 e Total do Estabelecimento 2.

NÚMERO ABSOLUTO COM AFASTAMENTO > 15 DIAS
Número dos acidentes maior do que 15 dias de afastamento.
Exemplo : Escritório 1, Obra 3 e Total do Estabelecimento 4.
Obs. : Acidente com afastamento é no mínimo a ausência por uma jornada de trabalho.

NÚMERO ABSOLUTO SEM AFASTAMENTO
Número de acidentes que retornam ao serviço no mesmo dia ou no dia seguinte ao afastamento .

Exemplo : Escritório 3, Obra 7 e Total do Estabelecimento 10.
Obs. : Acidente sem afastamento é a perda parcial da jornada de trabalho.

ÍNDICE RELATIVO / TOTAL DE EMPREGADOS
Divisão do número absoluto de acidentes pelo média aritmética do ano de empregados e multíplicado por 100.
Fórmula: IR /TE = Nº absoluto de acidentes x 100/Nº de Empregados

Exemplo: Escritório 5 / 15 x 100 = 33.33 , Obra 11 / 150 = 7.33 e Total do Estabelecimento 16 / 165 x 100 = 9.69.

DIAS / HOMENS PERDIDOS
Número total do somatório anual dos dias perdidos , dias transportados e dias debitados dos empregados acidentados e divididos pelas horas da jornada normal diária de trabalho da empresa.

Fórmula:
D / HP =Total anual dos dias perdidos, transportados e debitados/Nº de horas da jornada normal de trabalho

Exemplo: Escritório 30 / 7,333 (*) = 4,09 - Obra 132 / 7.333 (*) = 18,00 e Total do Estabelecimento 16 2 / 7.333 ( * ) = 22.09.

( * ) 7.333 = 44 horas semanais
6 dias da semana

OBS.:
Dias Perdidos é o número de dias que o empregado acidentado fica afastado no mês em que ocorreu o acidente. Dias transportados é o números de dias que o acidentado fica afastado no mês ou meses subseqüentes que ocorreu o acidente. Dias Debitados
É a redução da capacidade parcial ou total permanente para o trabalho. ( Ver quadro da IAIABC - International Association of Industrial Accident Board and Comission e consta na NR-5 CIPA da Portaria nº 3.214 / 78 . Quadro 1-a e NR-18 da ABNT ).

TAXA DE FREQÜENCIA
Número de acidentes com afastamento vezes um milhão e dividido pelo total das Horas-Homens Trabalho do ano. Estabelecido pela IAIABC , e consta na portaria nº 3.214 , de 08/06/78.
Fórmula :
TF = Nº acidentes com afastamento x 106 ( * )/HHT
Onde :
HHT = Horas-Homens Trabalhados
106 = Constante da Fórmula.
106 ( * ) = 1.000.000
Exemplo : Escritório TF = 2 / 30.248,62 x 10 = 66,11 - Oficina TF = 4 / 302.486,25 x 10 = 13,22
Total de Estabelecimento TF = 6 / 332.734 ,87 x 10 = 18,03

ÓBITOS
Número de mortes decorrentes de acidentes .
Escritório 0 , Obra 0 e Total do Estabelecimento 0.

ÍNDICE DE AVALIAÇÃO DA GRAVIDADE
Divisão do valor já calculado da coluna de dias / Homens perdidos ( 2 ) e divididos pelo número de acidentes com afastamento.
Fórmula :
IAG : Dias / homem perdidos ( 2 )/Nº de acidentes com afastamentos

Exemplo : Escritório 4,0 / 2= 2,04 – Obra 18,00/4=4,50 e Total do Estabelecimento 22,09 / 6 = 3,68.


3 – PREENCHIMENTO DO QUADRO IV

TIPO DE DOENÇA
Especificar o tipo da denominação da doença ocupacional ocorrida no setor ou setores.

Exemplo : Obra Pneumoconiose
NÚMERO ABSOLUTO DE CASOS
Número de empregados acometidos pela doença ocupacional
Exemplo : I ( Setor Obra ).
Setores de atividades dos portadores ( * )
Setor onde houve a ocorrência da doença ocupacional.
( * ) Codificar no verso o número e nomes dos portadores por setor.
Exemplo : Setor Obra

NÚMERO RELATIVO DE CASOS ( % ) TOTAL DE EMPREGADOS
Número absoluto de casos vezes 100 e dividido pelo número da média aritmética do ano dos empregados do setor.

NRC ( % TE ) = A x 100/B
Onde:
A = Nº absoluto de casos de doenças ocupacionais.
B = Nº de empregados (média aritmética do ano) de cada setor .
100 = Constante da Fórmula

Exemplo : Setor Obra .

NRC ( % TE ) = 1 x 100 = 0,66 %/150

NÚMERO DE ÓBITOS
Nº de mortes ocasionadas pela doença ocupacional .
Exemplo : Oficina 0 ( Zero ).

NÚMERO DE TRABALHADORES TRANSFERIDOS PARA OUTRO SETOR
Número de trabalhadores transferidos para outro setor por motivo de saúde e medida preventiva.
Exemplo : 0 ( zero ).

NÚMERO DE TRABALHADORES DEFINITIVAMENTE INCAPACITADOS
Número de trabalhadores incapacitados para o trabalho e aposentados por invalidez causada pela doença.
Exemplo : 0 ( zero ).

Obs. : Efetuar o mesmo procedimento no setor ou setores com mais de um caso de doença ocupacional.

Nota : Preencher no caso de doença ocupacional adquirida pelo exercício da atividade trabalho.
IMPORTANTE : Caso não exista registro de ocupacional colocar horizontalmente no quadro o texto Não houve registro de ocorrência de casos ocupacional.


4 – PREENCHIMENTO DO QUADRO V

SETORES
Local onde existe o agente insalubre.
Ex.: Obra.

AGENTES IDENTIFICADOS
Agentes causadores da insalubridade.
Ex. : Poeiras.
Intensidade ou concentração
Grau da que é a quantificação da intensidade da concentração do agente identificação.

INTENSIDADE OU CONCENTRAÇÃO
Grau da insalubridade que é a quantificação da intensidade da concentração do agente identificado.
Exemplo. : Grau Médio
Obs. : Graus de insalubridade estão classificados em Mínimo, Médio e Máximo. Consultar NR-15 Atividades e operações insalubres, da Portaria n.º 3.214 / 78.

NÚMERO DE TRABALHADORES EXPOSTOS
Números de empregados do setor ( média aritmética do ano )
Ex. : 150
Obs. : Efetuar o mesmo procedimento no setor com mais de um caso e nos demais setores com casos de doenças ocupacionais, relacionando a insalubridade .


5 – PREENCHIMENTO DO QUADRO VI

SETORES
Local onde ocorreram os acidentes com e sem afastamento
Ex. : Escritório e Obra .

NÚMERO DE ACIDENTES
Números de Acidentes com e sem afastamento.
Ex. : Escritório 5
Oficina 11 e
Total do Estabelecimento 16.

PERDA MATERIAL AVALIADA (R$ 1.000)
Custo total do somatório anual em milhares de Reias ( moeda que existir na época) da perda de material dos danos a máquinas, equipamentos, instalações e dos materias produtivos e não produtivos, inclusive dos EPI´s, EPC´s e o uso de materiais e equipamentos de combate a incêndio, decorrentes dos acidentes com e sem afastamento do trabalho.
Obs. : A perda de material de cada setor deve ser atualizada monetariamente em 31 de Dezembro de cada ano, e a soma dos setores , colocar no Total do estabelecimento.
Nota : Excluir as despesas com acidentado.
Ex. : Escritório 0 - Obra 7 e Total do Estabelecimento 7.

ACIDENTES SEM VITÍMA / ACIDENTES COM VÍTIMA
É a fração ordinária com o número de acidentes sem afastamento sobre o número de acidentes com afastamento
Ex. : Escritório 3 / 2
Obra 7/ 4 e
Total do Estabelecimento 10 / 6.

2 comentários:

Anônimo disse...

Prezados, no calculo de HHT do problema da NR4, não compreendi a inclusão de 11/12 (um mês de gozo de férias de cada empregado) no cálculo. Obrigada, Gordis

Anônimo disse...

Prezado.

No campo de Perda material avaliada, poderia me explicar o porque que chegou a 7?
Obrigada pela atenção