quinta-feira, 16 de julho de 2009

ERGONOMIA NO COMPUTADOR


MESA DE TRABALHO
Se o usuário é muito alto (maior que 1,75m), necessita de uma mesa mais alta que o padrão de 75 cm. Procurar alguma forma de elevar a mesa, através de calços de mesas especiais dotadas de regulagem de altura.
Liberar espaço na parte frontal da mesa de trabalho. Se necessário, afastar a CPU e colocar o monitor de vídeo sobre um suporte vazado.
Garantir a existência de algum espaço para movimentar o teclado um pouco para frente e um pouco para trás e, inclusive, procurar um arranjo em que seja possível afastar o teclado, possibilitando assim, usar a superfície da mesa para a escrita.
Trabalhar em uma mesa que tenha bordas arredondadas. Caso não as tenha, pode ser usado um apoio de punho almofadado, de borda arredondada, mas que seja mais baixo do que o teclado. Usá-lo como descanso durante as correções do trabalho e
durante o período de interação com o computador.
Caso o trabalho envolva leitura frequente de texto ou consulta a documentos, arranjar um suporte para documento e colocar o texto inclinado, o mais próximo possível do monitor de vídeo, ou entre este e o teclado, de forma que o seu deslocamento de pescoço
seja pequeno.
Todos os objetos de uso constante (calculadora, telefone e outros) devem estar o ais próximo possível do corpo. Evite colocar objetos/documentos pesados em gavetas que estejam próximas do piso; de preferência, não coloque nada nestas gavetas.

CADEIRA ADEQUADA E SEU AJUSTE
Durante a compra, evitar cadeiras de madeira, cadeiras com ângulo reto entre coxas e tronco, de palhinha e mesmo cadeiras de gerente. Priorizar a compra de uma cadeira confortável, ótimo acessório para minimizar o estresse do corpo. Ela deve ter um encosto ajustável (para frente e para trás), que permita uma reclinação de até 30 graus. Priorizar encostos altos, pois garantem maior apoio para as costas, diminuindo a tensão localizada. Verificar ainda se a cadeira oferece suporte para a região lombar, descanso de braço com almofadas e uma base com cinco pernas para reduzir o risco de quedas.
Usar uma cadeira ergonomicamente correta.
Atenção para com os braços da cadeira. Caso eles impeçam o acesso confortável ao posto de trabalho, prefira cadeira sem braços. Fazer as regulagens da cadeira às dimensões do usuário, de modo a obter bom conforto. A altura certa da cadeira de trabalho é aquela em que os cotovelos estejam na altura do tampo da mesa. Caso os pés fiquem suspensos, colocar um apoio para os mesmos.
Ajustar a altura do apoio lombar da cadeira, de forma a proporcionar bom apoio, sem forçar qualquer ponto da coluna.
Durante o trabalho de digitação, usando o mouse ou lendo,
ajustar a cadeira de tal forma que o tronco e coxas formem um ângulo de aproximadamente 100 – 110 graus.

POSICIONAMENTO DO MONITOR NA SALA E ELIMINAÇÃO DE REFLEXOS
O monitor deve ser posicionado de lado para a janela, caso esteja de frente, ou de costas, deve existir persiana ou cortina no local, a ser mantida fechada.
Identificar e eliminar fontes de reflexo na tela do monitor de vídeo. Essa identificação costuma ser mais fácil com o monitor desligado. Em algumas situações, a inclinação do monitor de vídeo pode ajudar.
Evitar luz extrema ou proximidade com paredes com brilho, bem como os filtros propostos como tendo propriedades anti-reflexo.

TECLADO
Jamais se deixar empolgar com a bela aparência desses periféricos. Dar preferência aos modelos com suporte de pulso, que deve ser grosso e almofadado e estar no mesmo nível físico do teclado - nunca abaixo.

POSTURA CORRETA PARA O TRABALHO
Sentar alinhado com o eixo da cadeira, evitando sentar torto. O corpo, o teclado e
o monitor de vídeo devem estar alinhados. Coluna reta em relação à mesa e ao monitor de vídeo. Manter a curva natural das costas (em formato de S). Ângulo entre o tronco e as coxas de aproximadamente 100 graus. Ângulo entre coxas e pernas de aproximadamente 100 graus. Uma boa dica: coloque um travesseiro na parte inferior da coluna para ajustar a curva lombar.
Pés apoiados, se necessário, em com auxílio de um apoio portátil - pés cruzados ou apoiados na ponta dos dedos favorecem dores na parte inferior da coluna. Manter os joelhos flexionados num ângulo de 90 graus.
Braços estendidos ao longo do corpo e dobrados à frente em um ângulo de 90 graus. Mãos retas em relação aos punhos, sem usar talas de imobilização do punho. Não torcer ou sacudir cabeça e pescoço repetidamente.
O monitor de vídeo deve estar à frente dos olhos, um pouco para baixo da projeção horizontal da linha dos olhos.
A distância correta do monitor de vídeo aos olhos é aproximadamente a distância do braço do usuário, esticado. Para obter a distância correta do teclado, fazer o seguinte teste: com os braços soltos ao lado do corpo, dobrá-los em ângulo de 90 graus. O teclado deve ficar à altura das mãos, sem precisar levar os braços à frente do corpo.
O monitor de vídeo deve estar bem em frente aos olhos do usuário. Não trabalhar com o monitor de lado, pois isso exige torções do tronco e do pescoço, com possíveis
conseqüências dolorosas para seus músculos. Somente no caso de trabalho constante de entrada de dados é que o monitor pode ficar um pouco de lado, se, nesse caso, à
frente dos olhos, for colocado o documento-fonte.
Em relação à altura do monitor, a posição ideal é aquela em que o mesmo se encontra um pouco abaixo da projeção horizontal dos olhos e um pouco
inclinado para cima, facilitando a leitura. Se o usuário for baixo, é possível colocar o monitor de vídeo direto sobre o tampo da mesa; porém, se for alto, essa posição do monitor poderá causar dor nos músculos do pescoço. Se o usuário for alto, colocar um suporte de madeira abaixo do monitor de vídeo.
No caso de uso de óculos multifocais para presbiopia, o melhor posicionamento do monitor de vídeo é um pouco mais baixo que a horizontal dos olhos (sobre a mesa ou
um pouco acima); monitores no nível da horizontal dos olhos trazem desconforto, pois o usuário terá que inclinar a cabeça para trás a fim de obter foco na
parte de baixo das lentes multifocais.
Regular a luminosidade e o contraste da tela, para evitar esforços visuais. Quanto menores o brilho e os reflexos na tela do monitor, maior o conforto para os olhos. Se o ajuste nos controles manuais ou o reposicionamento do monitor não corrigir esses efeitos, colocar um toldo de papelão sobre ele. Ou, então, comprar uma proteção antiofuscante, também conhecida por protetor de tela.

OPERAÇÃO DO TECLADO
Digitar com os 10 dedos, com método. Evitar realizar o mesmo movimento com as mãos durante muito tempo. Realizar uma digitação suave, conservar as mãos retas e os cotovelos dobrados em ângulo de 90 graus. Isso garante boa circulação sanguínea dos membros superiores.
Enquanto estiver digitando, não ficar com o punho apoiado sobre a mesa ou sobre uma almofada eventualmente existente.
Conhecer teclas de atalho, de forma a reduzir o uso do mouse.
Quando o teclado começar a endurecer (isso é normal depois de alguns meses ou anos), troque-o imediatamente, pois os dedos não estão aptos a desenvolver esforços contra resistência.

OPERAÇÃO DO MOUSE
Usar mouse no formato tradicional, mas que seja adequado ao tamanho da mão do usuário - existem mouses dos mais diversos tamanhos.
Trabalhar com os braços junto do corpo, evitando ao máximo esticar ou abrir o braço para operar o mouse. Para isso, uma das alternativas é usar o mouse
com a mão esquerda, não se esquecendo de mudar a configuração do mesmo para clicar no botão direito. Ou, houver muita dificuldade em operá-lo com a mão esquerda, usar um teclado menor. Outra alternativa é usar o mouse sobre o topo de um gaveteiro volante, o mais próximo possível do corpo, lembrando que nessa alternativa, há um aumento do tempo de deslocamento entre o teclado e o mouse.
Com o passar do tempo, é natural que mouse se torne duro. Não hesite em trocá-lo. Movimentos do indicador contra resistência costumam ser causa de distúrbios
dolorosos.

PAUSAS DE DISTENSIONAMENTO E DE ALONGAMENTO
Em qualquer situação, a cada duas horas (no máximo) interromper o trabalho por 10 minutos, levantar, andar um pouco e fazer uma bateria de exercícios de
distensionamento e de alongamento.
Em atividades de digitação de dados, a pausa prescrita pela legislação brasileira é de 10 minutos a cada 50 trabalhados.
É importante lembrar que essa flexibilidade é ainda mais necessária quando o trabalho exigir muita concentração mental ou quando o usuário está muito tenso, pois nesses casos, a tendência normal do organismo é ficar ainda mais estático. Durante esse período, evitar ler, uma vez que durante o esforço com computador os músculos ciliares (músculos internos dos olhos) também ficam muito exigidos.
Distanciar os olhos do monitor a cada 10 minutos, focalizando-os o mais longe possível durante 5 segundos. Esse procedimento minimiza a fadiga ocular.

CORREÇÃO VISUAL
Quem necessita de alguma correção visual, deve garantir que seus óculos ou lentes de contato estejam atualizados.
Caso seja portador de astigmatismo, hipermetropia ou presbiopia, é obrigatório o trabalho com o uso dos óculos ou lentes. Ao míope, isso pode ser dispensado. No caso de presbiopia (dificuldade de enxergar de perto após os 40 anos), a melhor correção visual é feita com lentes multifocais, com tratamento anti-reflexo.

ESCUTAR O CORPO
Caso ao usar o computador o usuário perceber dor, cansaço visual ou reflexos incômodos, mudar de posição ou interromper o trabalho por alguns minutos, fazendo outra atividade. Identificar o que está errado, corrigindo sua condição de trabalho.

NOTEBOOK
Ao comprar:
1. Considerar muito o peso do equipamento. Escolher modelos bem leves (há alguns que pesam 1,8 kg com a fonte). A maioria dos modelos reduz o peso colocando unidades de disk-drive e CD-ROM externos.
2. Atentar-se para as dimensões do teclado. Teclados muito pequenos são anti-ergonômicos. Dar preferência aos teclados em que a dimensão da tecla seja aquela
dos teclados comuns.
3. É fundamental que o teclado tenha 4 teclas em separado: Home, PgUp, PgDn e End. Compre somente equipamentos que tenham essas teclas em separado. Aqueles que, para realizarem essas funções solicitarem o uso da tecla de Função (Fn) são inadequados.
4. Prefirir aparelhos de telas maiores.
5. Prefirir modelos com apontador no meio (pequena alavanca vermelha entre as teclas G, H e B). Aqueles dotados exclusivamente de touch pad não atendem em
termos de velocidade. Lembrar de usar o apontador com uma mão e clicar com a outra.
Como usar o equipamento por longo tempo:
1. O ideal é montar um posto com: um miniteclado externo, um mouse externo e posicionando o laptop sobre uma caixa, assim, o usuário terá bom conforto visual e boa condição geral de trabalho. Ao adquirir um miniteclado, verificar se o mesmo também possui as teclas Home, PgUp, PgDn e End em separado.
2. Certificar que o nível do teclado esteja na altura dos cotovelos do usuário. Teclados muito altos ou muito baixos acarretam distúrbios importantes nos músculos de todo o membro superior.
3. É sempre bom lembrar que, a cada 2 horas, é importante fazer uma pausa de aproximadamente 10 minutos e, durante a mesma, levantar-se, caminhar e fazer alguma ginástica de distensionamento.

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA
http://www.orientacoesmedicas.com.br/posturanocomputador_colunaepostura.asp
http://trabalhosaudeseguranca.blogspot.com/search/label/Ergonomia
Ergonomia em ambientes informatizados – Profs. Ms. Dyjalma Antonio Bassoli e Camile Junqueira Guidorizzi – Curso de Extensão universitária EAD Centro Universitário Claretiano de Batatais/SP

Um comentário:

Ivan Canut Filho disse...

Matéria excelente! Nunca lembramos desses cuidados. Geralmente, quando lembramos já estamos doentes. Aí pode ser tarde!