sexta-feira, 2 de outubro de 2009

EPI - O QUE É, PARA QUE SERVE, QUANDO USAR

O QUE É
Os equipamentos de proteção individual são utilizados por trabalhadores para minimizar a exposição a riscos ocupacionais específicos. São exemplos de EPIs: máscaras, luvas, aventais, proteções contra quedas e uniformes completos, assim como proteção para a cabeça, olhos e pés. O uso de EPIs é apenas um elemento de um completo programa de segurança, que inclui uma variedade de estratégias para manter um ambiente ocupacional saudável e seguro. EPIs não reduzem o risco em si, nem garantem proteção total ou permanente.

PARA QUE SERVE?
Os riscos estão presentes em todo local de trabalho. Portanto, é essencial que haja
estratégias para proteger os trabalhadores. A prioridade deve ser a eliminação e o controle dos riscos na fonte ou no caminho entre a fonte e o trabalhador. Vários métodos estão disponíveis e os mais adequados para cada situação específica devem ser utilizados.
Controlar um risco na fonte deve ser a primeira opção, pois tal método o eliminará do local de trabalho ou o isolará do trabalhador. A abordagem do “ambiente seguro” pode exigir a substituição de um determinado material por outro que não ofereça riscos, o isolamento de riscos, a inclusão de funções de segurança em um equipamento existente, o replanejamento de processos de trabalho ou a compra de novos equipamentos. Quando o risco não pode ser removido ou controlado adequadamente, os EPIs deverão ser utilizados se o processo de trabalho em questão tiver continuidade.

QUANDO USAR
EPIs são utilizados para reduzir ou minimizar a exposição ou o contato com agentes físicos, químicos ou biológicos. Um risco não pode ser eliminado pelo uso de EPI, mas o risco de lesão pode ser eliminado ou amplamente reduzido. Por exemplo, o uso de proteção auricular reduz a probabilidade de lesões auditivas, quando os protetores são adequados para o tipo de ruído a que se está exposto e quando usados adequadamente. No entanto, a proteção auricular não elimina o ruído.
Os EPIs somente devem ser utilizados:
• como uma medida temporária (de curto prazo), antes de os controles serem
implementados
• onde a tecnologia de controle de pré-contato não estiver disponível
• onde os controles de pré-contato não forem adequados
• durante atividades como manutenção, limpeza e reparo, nas quais os controles de
pré-contato não são praticáveis ou efetivos e
• durante situações emergenciais.

2 comentários:

Marta Raquel disse...

muito bom!
obrigada pelo subsídio!!!!
forte abraço.
marta

Anônimo disse...

Mt bom obrigado vou usar por meu trabalho das escola abraco