terça-feira, 8 de dezembro de 2009

ERGONOMIA NA CONSTRUÇÃO CIVIL

O que é ergonomia?
É a ciência que estuda a adaptação do ambiente às medidas do corpo humano, considerando assim a interação perfeita entre os trabalhadores e o ambiente de trabalho. Em termos gerais, pode-se dizer que a ergonomia visa à adaptação das tarefas ao homem, oferecendo vantagens econômicas através da melhoria do bem-estar dos empregados, da redução de custos e aumento da produtividade da indústria.
Para alcançar seus objetivos a Ergonomia preconiza dois tipos de abordagem:
•Ação sobre os sistemas, processos ou produtos, buscando adequá-los às características dos trabalhadores, eliminando assim os fatores de risco;
•Ação sobre os trabalhadores através da educação, tornando-os capacitados para a realização adequada de suas tarefas e preparando-os para as transformações do trabalho decorrentes da evolução tecnológica.
Quais são as atividades laborais realizadas pelos trabalhadores da construção civil?
De acordo com o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) são consideradas atividades da indústria da construção as tarefas relacionadas a todas as etapas da construção, demolição, reparo, pintura, limpeza e manutenção de edifícios (casas, prédios, escolas, etc.) e obras de infra-estrutura (rodovias, ferrovias, pontes, etc.), inclusive obras de urbanização e paisagismo.

Quais são os principais riscos ergonômicos para os trabalhadores da construção civil?
A construção civil, apesar de sua constante evolução, compreende atividades que necessitam de elevado esforço físico do empregado, devido principalmente a uma rotina de trabalho pesado e muitas vezes em situações inadequadas. Problemas relacionados à ventilação, luminosidade, umidade e vibrações são comuns nos canteiros de obras. A maior parte dos acidentes de trabalho neste setor são lesões decorrentes da não utilização de Equipamentos de Proteção Individual – EPIs - luvas, capacetes, óculos de proteção, botas, etc. que muitas vezes provocam sequelas irreversíveis.
Entre os principais riscos ergonômicos aos quais estão expostos os trabalhadores da construção, temos:
•Esforço físico intenso;
•Levantamento e transporte manual de carga;
•Excesso de horas de trabalho;
•Outros fatores que provocam stress físico e/ou psíquico.
As lesões ocupacionais causadas pela exposição a estes riscos afetam a saúde física e mental dos trabalhadores, interferindo diretamente na sua produtividade e qualidade de vida.

Quais as consequências do levantamento e transporte de cargas com peso excessivo pelos trabalhadores da construção civil?
A manipulação e o levantamento de cargas são as principais causas de lombalgia ocupacional. Portanto, o levantamento e transporte manual de cargas devem ser realizados de modo que o esforço físico exercido pelo trabalhador seja compatível com a sua capacidade de força.

Não se deve exigir nem admitir que o trabalhador manuseie cargas cujo peso possa comprometer sua saúde e segurança. Quanto mais leve for a carga, menor é a possibilidade de o empregado ter a sua saúde comprometida, diminuindo os índices de absenteísmo (falta ao trabalho) e afastamento do emprego. As lombalgias constituem um problema grave para a previdência social e onera bastante a economia nacional.

Como a ergonomia pode melhorar o trabalho na construção civil?
A ergonomia tem como objetivo diminuir a ocorrência de lesões ocupacionais e acidentes, contribuindo na redução dos riscos laborais e promovendo melhoria nas condições de trabalho, mantendo a integridade física e mental destes trabalhadores. Consequentemente há um aumento do nível de qualidade de vida do empregado. A ergonomia poderá atuar através de ações preventivas e corretivas.
Para a realização de uma intervenção ergonômica adequada no canteiro de obra é necessária inicialmente a realização da Análise Ergonômica do Trabalho (AET) que tem como objetivo a melhoria efetiva das condições de trabalho, o desenvolvimento pessoal dos trabalhadores e o aumento da qualidade do produto final .
Com a Análise Ergonômica do Trabalho (AET) é possível identificar as falhas do sistema produtivo e propor recomendações visando às melhorias necessárias. Portanto a adequação ergonômica do local de trabalho, de acordo com as normas regulamentadoras e legislação vigente, é um modo de garantir a segurança e o bem-estar do trabalhador, aumentando a sua satisfação e produtividade.

Como prevenir os riscos ergonômicos a que os trabalhadores da construção civil estão expostos?
Um dos problemas que ocorre entre estes trabalhadores é o fato de não darem importância aos riscos presentes no local de trabalho. Portanto, para a completa prevenção das lesões ocupacionais entre os trabalhadores da construção civil é importante e necessário o treinamento e a educação apropriada dos empregados quanto aos riscos existentes em cada situação de trabalho e sobre as formas corretas de prevenir os acidentes e doenças ocupacionais.
Segundo a Norma Regulamentadora N° 18 (NR-18) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) todos os trabalhadores da construção civil devem receber treinamentos admissionais e periódicos, buscando garantir a realização de suas atividades com segurança. Este treinamento deve conter:
•Informações sobre as condições e ambiente de trabalho;
•Riscos relativos às tarefas realizadas;
•Uso adequado dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs);
•Informações sobre os Equipamentos de Proteção Coletiva (EPCs) existentes no canteiro de obra.
A intervenção ergonômica, como já foi dito, deve ainda compreender mudanças físicas e organizacionais no local de trabalho. Pois quando o trabalho é realizado de maneira inadequada afeta diretamente a saúde do trabalhador, através de diversas doenças músculo-esqueléticas (músculos e articulações). Mas, quando os fatores que prejudicam uma boa ergonomia são eliminados o risco de ocorrência de lesões é minimizado.

Veja mais sobre este assunto:
Manual de Aplicação da Norma Regulamentadora N° 17.
http://www.mte.gov.br/seg_sau/pub_cne_manual_nr17.pdf

Norma Regulamentadora N° 18 (NR-18).
http://www.mte.gov.br/legislacao/normas_regulamentadoras/nr_18geral.pdf

Análise Ergonômica na Construção Civil: Estudo de Caso sobre o Alto Índice de Aversão aos EPIs no Posto de Servente de Pedreiro.
http://www.taranoia.com.br/academico/Arquivos/ANALISE_ERGONOMICA_NA_CONSTRUCAO_CIVIL.pdf

Avaliação do Risco Ergonômico do Trabalhador da Construção Civil durante a Tarefa do Levantamento de Paredes.
http://www.simpep.feb.unesp.br/anais/anais_13/artigos/637.pdf

3 comentários:

Anônimo disse...

Muito bom o exo...

Joyce Albuquerque disse...

tb gostei

Unknown disse...

Boa noite, estou trabalhando em excesso, já tem algum tempo, eu estava até dormindo em pé, quando resolvi ir pra casa vários profissionais ficaram com raiva de mim, porque é produção, e o patrão queria que trabalhase até as seis da tarde do sábado, pocha se eu venho trabalhando a semana enteira até as dez da noite e chegando meia noite e pouco e sair 5 horas ,n dar pergunto a vocês o que eu faço.