terça-feira, 8 de dezembro de 2009

ERGONOMIA NA CONSTRUÇÃO CIVIL

O que é ergonomia?
É a ciência que estuda a adaptação do ambiente às medidas do corpo humano, considerando assim a interação perfeita entre os trabalhadores e o ambiente de trabalho. Em termos gerais, pode-se dizer que a ergonomia visa à adaptação das tarefas ao homem, oferecendo vantagens econômicas através da melhoria do bem-estar dos empregados, da redução de custos e aumento da produtividade da indústria.
Para alcançar seus objetivos a Ergonomia preconiza dois tipos de abordagem:
•Ação sobre os sistemas, processos ou produtos, buscando adequá-los às características dos trabalhadores, eliminando assim os fatores de risco;
•Ação sobre os trabalhadores através da educação, tornando-os capacitados para a realização adequada de suas tarefas e preparando-os para as transformações do trabalho decorrentes da evolução tecnológica.
Quais são as atividades laborais realizadas pelos trabalhadores da construção civil?
De acordo com o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) são consideradas atividades da indústria da construção as tarefas relacionadas a todas as etapas da construção, demolição, reparo, pintura, limpeza e manutenção de edifícios (casas, prédios, escolas, etc.) e obras de infra-estrutura (rodovias, ferrovias, pontes, etc.), inclusive obras de urbanização e paisagismo.

Quais são os principais riscos ergonômicos para os trabalhadores da construção civil?
A construção civil, apesar de sua constante evolução, compreende atividades que necessitam de elevado esforço físico do empregado, devido principalmente a uma rotina de trabalho pesado e muitas vezes em situações inadequadas. Problemas relacionados à ventilação, luminosidade, umidade e vibrações são comuns nos canteiros de obras. A maior parte dos acidentes de trabalho neste setor são lesões decorrentes da não utilização de Equipamentos de Proteção Individual – EPIs - luvas, capacetes, óculos de proteção, botas, etc. que muitas vezes provocam sequelas irreversíveis.
Entre os principais riscos ergonômicos aos quais estão expostos os trabalhadores da construção, temos:
•Esforço físico intenso;
•Levantamento e transporte manual de carga;
•Excesso de horas de trabalho;
•Outros fatores que provocam stress físico e/ou psíquico.
As lesões ocupacionais causadas pela exposição a estes riscos afetam a saúde física e mental dos trabalhadores, interferindo diretamente na sua produtividade e qualidade de vida.

Quais as consequências do levantamento e transporte de cargas com peso excessivo pelos trabalhadores da construção civil?
A manipulação e o levantamento de cargas são as principais causas de lombalgia ocupacional. Portanto, o levantamento e transporte manual de cargas devem ser realizados de modo que o esforço físico exercido pelo trabalhador seja compatível com a sua capacidade de força.

Não se deve exigir nem admitir que o trabalhador manuseie cargas cujo peso possa comprometer sua saúde e segurança. Quanto mais leve for a carga, menor é a possibilidade de o empregado ter a sua saúde comprometida, diminuindo os índices de absenteísmo (falta ao trabalho) e afastamento do emprego. As lombalgias constituem um problema grave para a previdência social e onera bastante a economia nacional.

Como a ergonomia pode melhorar o trabalho na construção civil?
A ergonomia tem como objetivo diminuir a ocorrência de lesões ocupacionais e acidentes, contribuindo na redução dos riscos laborais e promovendo melhoria nas condições de trabalho, mantendo a integridade física e mental destes trabalhadores. Consequentemente há um aumento do nível de qualidade de vida do empregado. A ergonomia poderá atuar através de ações preventivas e corretivas.
Para a realização de uma intervenção ergonômica adequada no canteiro de obra é necessária inicialmente a realização da Análise Ergonômica do Trabalho (AET) que tem como objetivo a melhoria efetiva das condições de trabalho, o desenvolvimento pessoal dos trabalhadores e o aumento da qualidade do produto final .
Com a Análise Ergonômica do Trabalho (AET) é possível identificar as falhas do sistema produtivo e propor recomendações visando às melhorias necessárias. Portanto a adequação ergonômica do local de trabalho, de acordo com as normas regulamentadoras e legislação vigente, é um modo de garantir a segurança e o bem-estar do trabalhador, aumentando a sua satisfação e produtividade.

Como prevenir os riscos ergonômicos a que os trabalhadores da construção civil estão expostos?
Um dos problemas que ocorre entre estes trabalhadores é o fato de não darem importância aos riscos presentes no local de trabalho. Portanto, para a completa prevenção das lesões ocupacionais entre os trabalhadores da construção civil é importante e necessário o treinamento e a educação apropriada dos empregados quanto aos riscos existentes em cada situação de trabalho e sobre as formas corretas de prevenir os acidentes e doenças ocupacionais.
Segundo a Norma Regulamentadora N° 18 (NR-18) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) todos os trabalhadores da construção civil devem receber treinamentos admissionais e periódicos, buscando garantir a realização de suas atividades com segurança. Este treinamento deve conter:
•Informações sobre as condições e ambiente de trabalho;
•Riscos relativos às tarefas realizadas;
•Uso adequado dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs);
•Informações sobre os Equipamentos de Proteção Coletiva (EPCs) existentes no canteiro de obra.
A intervenção ergonômica, como já foi dito, deve ainda compreender mudanças físicas e organizacionais no local de trabalho. Pois quando o trabalho é realizado de maneira inadequada afeta diretamente a saúde do trabalhador, através de diversas doenças músculo-esqueléticas (músculos e articulações). Mas, quando os fatores que prejudicam uma boa ergonomia são eliminados o risco de ocorrência de lesões é minimizado.

Veja mais sobre este assunto:
Manual de Aplicação da Norma Regulamentadora N° 17.
http://www.mte.gov.br/seg_sau/pub_cne_manual_nr17.pdf

Norma Regulamentadora N° 18 (NR-18).
http://www.mte.gov.br/legislacao/normas_regulamentadoras/nr_18geral.pdf

Análise Ergonômica na Construção Civil: Estudo de Caso sobre o Alto Índice de Aversão aos EPIs no Posto de Servente de Pedreiro.
http://www.taranoia.com.br/academico/Arquivos/ANALISE_ERGONOMICA_NA_CONSTRUCAO_CIVIL.pdf

Avaliação do Risco Ergonômico do Trabalhador da Construção Civil durante a Tarefa do Levantamento de Paredes.
http://www.simpep.feb.unesp.br/anais/anais_13/artigos/637.pdf

2 comentários:

Anônimo disse...

Muito bom o exo...

Joyce Albuquerque disse...

tb gostei